Programa

Programa (Livro de Abstracts)

THURSDAY, 12th April
Opening 08.30
09.20
COFFEE & REGISTRATION
Introduction: Organizing Committee
SPE 2012
 
Endocrine
control of
behaviour I
09.30

PLENARY: Eduardo Nuno Barata
Pheromones and modulation of social behaviour in fishes: origin, mechanisms and functions
10.20 Tina Keller
Dominance pheromone(s) in Mozambique Tilapia males
10.40 João Saraiva
Narcissus on fins: searching for dominance pheromones in Tilapia
  11.00 COFFEE
Endocrine
control of
behaviour II
11.20 Olinda Almeida
Effects of castration on reproductive behaviour in males of the Cichlid fish Oreochromis mossambicus
11.40 Gonçalo Oliveira
Threat appraisal mediates the effect of opponent familiarity on testosterone response
12.00 Silvia Costa
Endocrine control of female sexual behavior in the Peacock Blenny, Salaria pavo
  12.20 LUNCH
Messages of
colour
14.00 PLENARY: Juan Carlos Senar
Messages of colour: the evolution of plumage coloration as a multiple ornament
14.50 Ana Leitão
The role of UV in female mate choice of European Serin
15.10 Sandra Trigo
Are carotenoids really that important?
  15.30 COFFEE
Associative
learning,
cognition and social modulation
15.50 PLENARY: Leonel Garcia-Marques
Models of associative learning in humans, animals and machines
16.40 Ligia Monteiro
Social characteristics of low social engagement preschool children
17.00 Inês Peceguina
Explorations of a model of social competence for preschool children: testing the moderating effects of age, sex, and culture
17 20 João Daniel
Preschool affiliative networks and social withdrawal in preschool children
17.40 Joana Bessa
Auditory contagious yawning in domestic dogs (Canis familiaris): first evidence for social modulation
  18.00 POSTERS & WINE + SPE meeting
     
FRIDAY, 13th April
Brain and
behaviour
09.00 PLENARY: Susana Lima
Mate choice in mice
09.50 Catarina Bacelar
Brain areas involved in the navigational process: the role of odors
10.10 Rui Oliveira
Rapid changes in brain transcriptome in response to social interactions in Zebrafish: the role of cognitive appraisal
 
Stress and
Welfare
10.30 Leonor Galhardo
Psychological stress in fish and implications for welfare
10.50 Marta Soares
Tactile stimulation lowers stress in fish
  11.10 COFFEE
Habitat choice 11.30 Sara Magalhães
Do plants delude their bodyguards? Behaviour of Phytoseiulus persimilis towards odours from plants with or without prey or competitors
11.50 Joana Martins
Should I stay or should I go? Individual preferences of Lipophrys pholis adult males for specific shelters
12.10 Ana Gonçalves
Homing in rocky intertidal fish. Lipophrys pholis L., as a biological model to study navigation
  12.30 LUNCH
Behaviour and
evolution
14.00 PLENARY: Étienne Danchin
Non-genetic inheritance of behaviour
 
Sound
production,
variation and
function
14.50 Paulo Fonseca
Sound production in closely related Okanagana cicadas: O. canadensis, O. rimosa and O. bella
  15.10 Clara Amorim
The role of agonistic sounds in territorial defence in a small Goby
  15.30 Daniel Alves
Detection of complex conspecific sounds in the Lusitanian toadfish (Halobatrachus didactylus)
  15.50 Ana Mamede
The pattern of inter-annual song variation in the Serin (Serinus serinus) is limited
  16.10 COFFEE
Deducting
behaviour of
dinosaurs
16.30 Octavio Mateus
Deducting behaviour of dinosaurs: reproduction
16.45 Christophe Hendrickx
Deducting behaviour of dinosaurs: Spinosaur theropod feeding
16.55 Emanuel Tschopp
Deducting behaviour of dinosaurs: Sauropods migration, herding, and feeding
17.05 Questions
  18.00 POSTERS & COFFEE
Closing 19.00 AWARDS: Organizing and Scientific Committees
Award for the best oral presentation from a student (Springer-Verlag); Award for the best poster from a student (CBA)
  19.10 Closing: Rui Oliveira & Juan Carlos Senar
SPE & Acta Ethologica
  20.30 SOCIAL DINNER

Oradores convidados

Eduardo Nuno Barata
(Centro de Ciências do Mar do Algarve e Universidade de Évora)

Eduardo Nuno Barata é Professor Auxiliar do Departamento de Biologia da Universidade de Évora e Investigador do Centro de Ciências do Mar do Algarve integrado no Grupo de Endocrinologia Comparativa e Molecular. “Como, para quê e porquê os animais cheiram o que cheiram” são as questões que têm orientado a sua investigação publicada em diferentes revistas científicas internacionais. Neste contexto, parte da sua atenção é dedicada à comunicação química em peixes e a função das feromonas na regulação do seu comportamento social.

Comunicação: “Feromonas na regulação do comportamento social de peixes: origem, mecanismos e funções”

Os animais libertam feromonas fornecendo informação química sobre a sua identidade (e.g. espécie, sexo) e fisiologia (e.g. condição reprodutiva). Nos peixes, é geralmente aceite que as hormonas sexuais e seus metabolitos excretados para água estão envolvidos na sincronização do comportamento e da fisiologia reprodutivos de cada espécie (feromonas hormonais). Apesar de assim poder ser, os peixes podem usar feromonas para além deste paradigma tradicional. Nesta palestra discuto que a natureza química das feromonas em peixes pode ir além das feromonas hormonais, e que os peixes têm formas de libertar feromonas quando e onde apropriado, em contextos para além da comunicação química entre os sexos.


Étienne Danchin
(Laboratório "Évolution et Diversité Biologique", CNRS, Universidade "Paul Sabatier", Toulouse, França)

O Doutor Étienne Danchin é director de investigação do CNRS (Centro Nacional de Investigação Científica francês). Trabalha em Ecologia Comportamental, tendo dedicado quase vinte anos da sua carreira ao estudo da evolução da vida em grupo, nomeadamente da evolução da colonilidade em aves. A sua experiência nesta área levou-o a concluir que os animais interagem entre si não apenas através de sinais intencionais, mas também através da observação mútua de vários outros tipos de "pistas" (informação produzida por inadvertência) sobre o seu sucesso reprodutor, pistas essas que influenciam as escolhas de habitat e de parceiros sexuais dos seus conspecíficos. Esta constatação levou-o a interessar-se pelo papel da partilha de informação entre conspecíficos nas suas tomadas de decisões e em como esta transmissão/herança não genética de comportamentos poderá influenciar a própria evolução das espécies. O Doutor Étienne Danchin tem uma vasta bibliografia publicada nesta área e é co-editor e autor do livro de referência em Ecologia Comportamental: Danchin É, Giraldeau L-A & Cézilly F. 2008. Behavioural Ecology. Oxford University Press. Oxford, New York.

Comunicação: “Herança não-genética de comportamentos”

Muitos biólogos reclamam por uma “síntese mais abrangente da teoria da evolução” que modernize a teoria actual. Os cientistas que têm chamado à atenção para esta necessidade baseiam-se em descobertas recentes de casos de hereditariedade não-genética. A informação biológica é tipicamente considerada como sendo transmitida através das gerações por meio apenas da sequência de ADN (i.e. dos genes). Contudo, há evidências crescentes de que existem mecanismos de hereditariedade não genética e de que as interacções entre os mecanismos genéticos e não-genéticos podem afectar profundamente os trajectos evolutivos das espécies. Exemplos de mecanismos não genéticos são os da informação epigenética, parental, ecológica e cultural, que afectam profundamente o comportamento dos animais de geração em geração, com efeitos muito significativos na sua evolução fenotípica, sobretudo durante o desenvolvimento. Irei formalizar a dinâmica quantitativa da hereditariedade não-genética e com base nisso propor métodos que quantifiquem as contribuições relativas das heranças genética e não-genética nas semelhanças fenotípicas entre indivíduos. Irei dar destaque ao papel do comportamento na evolução, dado que é o comportamento que está na origem deste novo sistema de hereditariedade. Só através de uma visão inclusiva de hereditariedade, que explore as múltiplas dimensões – genética e não genética – do processo evolutivo, é que se conseguirá construir uma nova teoria da evolução realmente abrangente.


Juan Carlos Senar  
(Evolutionary and Behavioural Ecology Research Unit, Natural History Museum of Barcelona)

O Doutor Juan Carlos Senar é o Diretor de Investigação do Museu de História Natural de Barcelona e o Secretário Geral da Sociedade Espanhola de Etologia. Nos últimos vinte anos tem trabalhado na evolução da coloração da plumagem, em particular no estudo do significado funcional das diferentes colorações e na evolução de múltiplos sinais.

Comunicação: Messages of colour: the evolution of plumage coloration as a multiple ornament

Most plumage coloration results either from structural feather properties (e.g. white, blue or UV) or from pigment molecules, mainly carotenoids and melanins, embedded in the feathers (e.g. red, yellow or black). A current debate on the evolution of mate choice through plumage coloration centres on whether different shades of colour convey different kinds of information. In this talk I analyse the different meanings of carotenoids and melanins, in species simultaneously displaying both kinds of colours. Results show that carotenoid coloration is mainly related to the ability of the individual to find out resources meanwhile melanin-based coloration is related to general aggressivity and hence to dominance and territory and nest defence in front of competitors and predators.


Leonel Garcia-Marques
(Centro de Investigação em Psicologia, Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa)

Leonel Garcia-Marques é Professor Catedrático da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Os seus interesses de investigação abrangem inúmeras áreas da Cognição Social (como memória de pessoas, estereótipos e inferências espontâneas de traço), Memória e Julgamentos e Decisão na Incerteza. Tem artigos publicados nas mais prestigiadas revistas da área da Psicologia Social (como o Journal of Personality and Social Psychology, Journal of Experimental Social Psychology, Social Cognition) e foi recentemente editor-in-chief de uma destas revistas (European Journal of Social Psychology). É regularmente investigador principal e colaborador de projetos financiados pela FCT e é o representante de Portugal na direção da European Social Cognition Network, financiada pela European Science Foundation.

Comunicação: "Bayesianos pelas razões erradas: Teste de hipóteses, percepção de contingência e modelos de aprendizagem associativa em humanos, animais e máquinas"

Uma parte importante da investigação em psicologia sobre a forma como os seres humanos aprendem e formam conhecimentos centrou-se em compreender como estes testam hipóteses. À luz da literatura sobre teste de hipóteses, o indivíduo ora é considerado como alguém dotado de racionalidade limitada que, servindo-se de procedimentos precários de teste, acaba por invariavelmente confirmar qualquer hipótese sob teste (Snyder, 1981), ora é considerado como alguém que ajusta os seus níveis de crença em determinada proposição procurando obter e baseando-se em observações cruciais (i.e., como um bayesiano intuitivo; e.g., Trope & Liberman, 1996). No entanto, esta literatura ignorou durante muito tempo a estreita relação conceptual que existe entre teste de hipótese e aprendizagem associativa ou percepção de contingência. A importação do que já sabemos sobre percepção de contingência e aprendizagem associativa em animais, máquinas e humanos permite-nos, quer uma reinterpretação dos resultados obtidos na literatura de teste de hipótese (e.g., Garcia-Marques et al., 2001), quer a previsão de efeitos até agora desconhecidos.

 


Susana Lima
(Programa de Neurociência, Fundação Champalimaud)

Susana Lima é investigadora principal no Champalimaud Neuroscience Programme da Fundação Champalimaud em Portugal. O seu percurso pelo ramo das neurociências tem sido diverso, desde genética em drosophila até sistema auditivo em ratazana. Nos últimos 3 anos iniciou a sua carreira independente estudando o comportamento sexual das fêmeas, com o interessa particular no estudo da escolha de parceiro sexual.

Comunicação: Escolha de parceiro sexual em ratinho”

Along with finding food and avoiding predators, selecting sexual partners is one of the primary functions of the central nervous system. Choices serve a variety of functions, from avoiding familial inbreeding to avoiding inter-species mating, all of which generally serve the goal of maximizing the fitness of the resulting offspring and thereby providing the best investment of ones genes.

Our goal is to understand the neural mechanisms underlying this fascinating behavior. Much is known at the behavioral and neural level about what kind of features are used for choosing. But much less is known about how the criteria for mating are represented in the brain, how the decision-making process works, how it is influenced by internal state, and other key factors. In order to study those processes it would be ideal to reproduce mate choice in the laboratory under controlled, repeatable conditions. This would allow experiments with electrophysiological recordings and genetic manipulations, for example. 

In this lecture I will introduce a new behavioral paradigm we have developed to study mate choice in the house mouse, in laboratory conditions, taking advantage of inbred strains of mice. I will also present some of our first insights into the rules governing this fascinating decision process.

 
Vencedores da melhor
comunicação de estudantes

Instruções para autores: apresentações orais e posters
Clique aqui
 
 
António J. Santos
Clara Amorim
David Gonçalves
Filipa Vala
Joana Jordão
Leonor Galhardo
Luis Vicente
Marta Moita
Paulo Fonseca
  Paulo Gama Mota
Rita Covas
Rita Ponce
Rodrigo de Sá-Saraiva
Rui Oliveira
Sara Hagá
Sara Magalhães
Susana Varela
Vítor Almada
 
 
Joana Jordão, CBA, FCUL
Rita Covas, CiBio, UP
Rita Ponce, CBA, FCUL
Sara Hagá, FP-UL
Susana Varela, CBA, FCUL
 
 
spe2012@gmail.com
 
 
 

 

EN version Versão Portuguesa